Transtorno de Processamento Sensorial e a importância do diagnóstico

Não confunda birra com mau comportamento, às vezes pode ser muito mais que isso.

Para quem está por dentro do assunto já sabe que Transtorno de Processamento Sensorial é extremamente complexo. São categorias e subcategorias de sentidos que podem estar fora de sincronicidade e fazer com que a vida da criança se torne complicada.

Cada categoria de Transtorno de Processamento Sensorial tem sua característica.

Não existe receita que se encaixe para todos. Por isso é tão importante saber exatamente qual o sentido que seu filho tem problemas.

No meu caso meu filho tem problemas com regulação. Ou seja, as chamadas birras em português e tantrums em inglês podem durar bastante tempo. Não conheço um termo em português, mas em inglês existem dois nomes.

Tantrums e meltdowns.

Tantrums são aquelas birras que as crianças fazem quando não querem o copo verde, ou querem assistir TV e não podem.

Meltdowns acontecem quando a criança está overloaded.

Uma criança tipicamente normal, não ficará overloaded por estar 15 minutos em um local com muitas crianças. Uma criança com Transtorno de Processamento Sensorial ficará.

Uma criança tipicamente normal irá fazer birra pois está cansada, será fácil resolver o problema dela, coloque-a para dormir. Agora uma criança com TPS irá fazer birra pois o sistema sensorial dela está desarrumado, e será muito difícil entende-la e resolver seu problema caso tenha a mesma abordagem.

Seu sistema está em pane, seu cérebro está todo desarrumado, precisará de uma intervenção. De uma atividade que a organize novamente.

O comportamento de uma criança com TPS pode gerar muita dúvida na cabeça dos pais e professores.

Nos perguntamos o porquê dessa criança não demonstrar nenhuma habilidade de se ajudar, se acalmar sozinho ou mesmo sair da inércia. O porquê de algumas crianças se tornarem agressivas em grupos ou se isolarem completamente.

Consigo ouvir muitas pessoas dizendo.
Mas essa é a personalidade da criança.
Todas elas são únicas e se comportam de maneira diferente umas das outras.

Concordo com tudo isso.

O que estou tentando passar aqui é que Transtorno de Processamento Sensorial é uma condição neurológica que atrapalha a criança de fazer ações cotidianas como comer, colocar um casaco, abotoar uma blusa, ir à uma festa.

Quando uma condição atrapalha um indivíduo de viver normalmente, é aí, exatamente nesse momento que os pais são obrigados a intervirem e colocarem uma fundação onde a criança irá se desenvolver como as outras.

Estamos sim na era do diagnóstico. Mas isso não quer dizer que seja ruim. Minha família mudou quando soubemos que meu filho tem Transtorno de Processamento Sensorial.

Era uma vez uma família que brigava e gritava por situações que não mais acontecem na minha casa.

Ao final, estamos todos buscando a felicidade, e sabendo ajudar nossos filhos a acharem a deles é nossa missão.

Peace and Love!!

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *